quarta-feira, 21 de maio de 2008


O Ser Esponja


Roni Reis


São Paulo passos e passadas largas pelo chão essas ruas
São Paulo esses seres
Houvesse ouro debaixo deste asfalto essas ruas( incenso e perfume )
Fosse eu um rico serminha vida milionária na cidade São Paulo
Ah, essas prostitutas todas elas
Lojas do amor
Mulheres vendendo amor
- Quanto queres pra me amar ?
Eis...
Esses pedintes
Esfomeados Mendigos
Queres embeber ?
Toma, morra no álcool das ilusões( gozo nosso de toda a vida )
Queres comer, seu infeliz ?
Pegue, te acabes no terreno dos burgueses( que pecado o que ? ) coma coma coma até entrar em coma...Miserável
Essas ruas
Esse povo
Fúria e desgosto esses homens
Alegria embrutecida - maquiando algo o rosto
O doce da Vida em duelo com o amargo - também da vida...
Adentram em minhalma
Vícios dessa gente
Absorvo todos - qual esponja
Sigo andando até a próxima avenida ( essa terra )
Perder tais pensações nalgum quadril e tornar ao mundo dos tambéns...

SP, 2007

Um comentário:

Roni disse...

"São Paulo, comoção de minha vida."

...de Mário de Andrade e minha e toda nossa também.

"...do povo oprimido
nas filas, nas vilas, favelas...
da força da grana que ergue e destrói coisas belas...
da feia fumaça que sobe apagando as estrelas..."...

Ariiiiii....feliz fiquei pelos Versos 'postados' no Blog.

Obrigado viu.

Saúde !

Roni.